M Facebook – Especial Eleições n° 7
M Facebook – Especial Eleições n° 7

Por Keila Rosa, Andressa Liegi, Robson Nunes, Natasha Bachini, Eduardo Barbabela e João Feres Júnior
11/12/2020 -

Chegamos à última semana de campanhas an­tes do primeiro turno das eleições mu­ni­ci­pais. Como já era esperado, na semana de 9 a 15 de novembro, foram registrados os re­cordes nos números de publicações e de en­gajamento nas redes desde o início das cam­panhas.

Nessa semana, os destaques ficaram com o alto número de no­tí­ci­as falsas contra candidatos por seus adver­sá­ri­os e também com as concessões de direito de res­posta por parte da Justiça Eleitoral, con­­for­me as novas leis que entraram em vigor nas eleições mu­nicipais de 2020. Além da amostra geral, nessa semana ob­ser­­vamos a disputa eleitoral em seis ca­pi­tais: Rio de Janeiro, São Paulo, Fortaleza, Ma­­­naus, Porto Alegre e Recife.

Nessa semana foram observadas 10.397 pu­­­blicações nas 319 páginas monitoradas, que geraram 824.399 compartilhamentos, 850.599 comentários e 5.723.815 reações. Os recursos utilizados nos posts foram fo­tos (51%), vídeos (46%), links (2%) e so­men­te texto (1%).

Dentre os 20 posts mais compartilhado esta se­mana, Celso Russommano (Republi­ca­nos/SP) aparece com na liderança, com um post em que critica Bruno Covas (PSDB/SP) e João Dória (PSDB/SP) pelas medidas de res­­tri­ção durante a pandemia. Em seguida, a­pa­­rece Arthur do Val (PATRI/SP) que em­pla­­cou quatro publicações em nosso ranking nesta semana. O candidato do Patriota utiliza-se de vídeos de debates para ques­­­tionar os oponentes Guilherme Boulos (PSOL/SP) Joice Hassel­mann (PSL/SP), Cel­so Russomanno (Republica­nos/SP) e Jilmar Tatto (PT/SP). Arthur do Val tam­­bém critica Guilherme Boulos por ter in­tenção de vo­­to entre camadas com maior ren­da e aproveita para di­vul­­gar a lista de quanto cada can­di­­dato re­ce­beu do fundo partidário, sempre ressaltando que não uti­li­zou verbas públicas em sua campanha.


Guilherme Bou­los (PSOL/SP) aparece com cinco posts no ranking. Neles comemora pes­quisa IBO­PE em que passa Russoman­no, divulga no­tícia da prisão do jornalista Os­waldo Eus­tá­quio por fake news, compara sua vice, Luí­za Erundina (PSOL/SP), com Ri­car­do Nu­nes (MDB), vice de Covas, e com­par­tilha uma foto de campanha e um vídeo de apoio do rapper Emicida. Manuela d’Á­vi­la (PC do B/RS) aparece com duas publica­ções no ran­king, uma criticando que o go­ver­no fe­de­ral havia ignorado a oferta de com­pra de va­cinas da Pfizer e outra anun­cian­do a der­ru­bada de mais de meio milhão de fake news sobre ela.

Marcelo Crivella (Re­pu­bli­ca­nos/RJ) também a­parece com dois posts, um dizendo que en­quanto Edu­ar­­do Paes (DEM/RJ) acredita no IBOPE, ele a­cre­­dita em Je­sus, o qual nun­ca erra, e ou­tra dizendo que teve um go­ver­no difícil de­vi­do à dívida an­terior e assim te­ve que priorizar a saúde e a educação.

David Al­mei­da (AVANTE/AM) apa­rece na ter­ceira po­sição com uma live fa­lando so­bre como entrou na política. Ca­pi­tão Wag­ner (PROS/CE) aparece com duas pu­bli­ca­çõ­es, ambas lives falando de uma su­posta CPI que haveria investigado o o­po­nen­te Jo­sé Sarto (PDT/CE) por propina. Bru­no En­gler (PRTB/MG) aparece com um ví­deo jun­to do presidente Jair Bolsonaro (sem par­tido) que apoia sua candidatura. Edmil­son Ro­drigues (PSOL/PA) aparece com uma fo­to de campanha e, por fim, a Delegada Pa­trí­cia Domingos (PODE/PE) aparece com u­ma foto com Bolsonaro, ressaltando que o pre­­sidente apoia sua candidatura.

SÃO PAULO

Na cidade de São Paulo foram observadas 1.087 publicações, que geraram 238.332 com­­partilhamentos, 261.302 comentários e 2.060.024 reações. Os recursos utilizados nos posts foram fotos (47%), vídeos (47%), links (6%) e somente texto (1%).

Dentre os 10 posts mais compartilhados, Cel­so Russomanno (Republicanos) aparece na liderança com imagem em que critica as me­­didas de restrição por parte do atual pre­­feito e oponente Bruno Covas (PSDB) e do governador do estado João Doria (PSDB). Arthur do Val (PATRI) aparece com qua­tro publicações. Em segundo lugar, um ví­deo de debate na TV Cultura, em que ques­t­iona Guilherme Boulos (PSOL) sobre os pancadões na cidade, que responde que é preciso investir em espaços para cultura, e acusa Boulos de colocar fogo em prédio, ao qual responde que isso seria fake news. Em terceiro, apresenta uma compilação de ví­deos do mesmo debate, criticando Joice Has­sel­mann (PSL) por utilizar recursos do Fun­do Eleitoral, Celso Russomanno por gas­tos com dinheiro público para uso pes­soal, e Jilmar Tatto (PT) pelo que alega ser sua relação com o PCC. Nas outras publi­ca­ções, divulga um vídeo em que a jornalista Da­­niela Lima, da CNN Brasil, questiona Bou­­­los por se posicionar como um candi­da­to da periferia e ter maior intenção de voto en­­tre jovens com maior faixa de renda e, por fim, divulga a lista de quanto cada can­di­­dato à prefeitura de São Paulo recebeu do par­­tido, afirmando que não utiliza dinheiro do povo para fazer campanha. Por fim, Bou­los ainda emplacou a maior quantidade de posts no ranking, com cinco publicações. O can­­didato do PSOL divulga a pesquisa IBO­PE, em que alcança 13% de intenções de vo­to e passa Russomanno e Márcio França (PSB), e a prisão do blogueiro bolsonarista, Os­­waldo Eustáquio, que havia divulgado ví­deo com acusações sobre Boulos, sendo es­se divulgado por Russomanno, o qual foi re­ti­­rado do ar por ordem da Justiça Eleitoral que o julgou como notícias falsas . Nos ou­tros posts, Boulos divulga sua campanha, com a mensagem já comum de que esta re­pre­­senta a esperança contra o ódio visto nas eleições de 2018, com um vídeo de a­poio do rapper Emicida, e com a compa­ra­ção de sua vice, Luiza Erundina (PSOL), com o vice de Bruno Covas, Ricardo Nunes (MDB), dizendo que ele foi acusado de vio­lên­­­cia doméstica pela esposa e que foi ci­ta­do no caso da “máfia das creches”.

RIO DE JANEIRO

Na capital fluminense foram observadas 659 publicações, que geraram 98.739 compar­­tilhamentos, 96.694 comentários e 585.091 reações. Os recursos utilizados nos posts foram vídeos (51%), fotos (46%), links (2%) e somente texto (2%).

No ranking dos 10 posts mais compartilhados, todos foram de Marcelo Crivella (Republicanos). O candidato tem diversas publicações de divulgação de sua campanha, incluindo uma ressaltando que Bolsonaro apoia sua candidatura, e se apresentando como o candidato honesto, defensor da família, missionário, humanitário e militante da saúde, emprego e educação. Como já é de costume em suas publicações, apresenta forte apelo e ligação com a religião. O candidato diz que enquanto seu oponente Eduardo Paes (DEM/RJ) acredita no IBOPE, ele confia em Jesus que não erra nunca, além de divulgar um vídeo de apoio à sua candidatura do Missionário RR Soares, apresentador do programa Show da Fé. Crivella também posta um vídeo dizendo que teve um governo difícil devido à dívida herdada, que foi paga, e que teve que priorizar a saúde e educação, ao invés de outros assuntos como o carnaval, um vídeo mostrando a instalação de novas luminárias na cidade, que seriam mais modernas, trariam economia e ainda permitiriam a instalação de câmeras para identificar criminosos. Por fim, também posta um vídeo cantando com apoiadores na rua, no qual nenhuma pessoa utiliza máscara para proteção da Covid-19.

FORTALEZA

Na capital cearense foram observadas 412 publicações, que geraram 44.467 compartilhamentos, 66.078 comentários e 207.219 reações. Os recursos utilizados nos posts foram vídeos (55%) e fotos (45%).

No ranking dos 10 posts mais compartilhados, quem dominou foi Capitão Wagner (PROS) com nove das publicações. Quase todas as postagens (8) do candidato foram lives. Quatro dessas envolvem uma controvérsia com seu oponente, José Sarto (PDT), visto que após ter sido acusado por Sarto de estar envolvido com o motim da Polícia Militar no início do ano, Capitão Wagner recebeu direito de resposta pela Justiça Eleitoral. Assim, publicou quatro vídeos, três lives e um referente ao direito de resposta oficial, alegando uma acusação de propina de Sarto que teria resultado em uma CPI. Entretanto, a Justiça Eleitoral determinou a retirada do ar e proibição das propagandas por conter informações falsas sobre Sarto . Em outras lives, o candidato fala com seus seguidores sobre a ação da polícia, combate ao crime, sua atuação na política, a obra inacabada de um aquário na cidade, idealizada e iniciada pelo, então governador, Cid Gomes (PDT) em 2008. Por fim, o candidato também divulga uma live em que conversa com líderes religiosos sobre o papel da igreja na cidade, uma em que debate com parlamentares (vereadores, deputados estaduais e federais) sobre a defesa da vida (posicionamento contra o aborto) e da família (contra outra composição que não seja pai e mãe), sempre com ênfase nos valores cristãos e, por fim, uma acompanhando o comparecimento do candidato às urnas para votação. Além disso, Luizianne Lins (PT) aparece com um post divulgando pesquisa Datafolha que apontava que 31% dos eleitores da cidade ainda podiam mudar seu voto.


MANAUS

Em Manaus foram observadas 412 pu­bli­ca­ções, que geraram 56.359 compartilha­men­tos, 62.346 comentários e 255.954 rea­ções. Os recursos utilizados nos posts fo­ram vídeos (53%), fotos (43%), links (2%) e somente texto (1%).

Dentre os 10 posts mais compartilhados, a primeira posição ficou com David Almei­da (AVANTE), que emplacou quatro publi­ca­ções no ranking. Além de divulgar uma ima­gem de campanha, o candidato tam­bém se utilizou de uma foto e duas lives, uma com a presença de sua filha mais ve­lha, para falar sobre sua história e atua­ção na política, todas com foco em sua de­fe­sa contra fake news divulgadas sobre ele por oponentes, nomeadamente Ama­zo­nino Mendes (PODE) e Coronel Me­ne­zes (PATRI), que diziam que o candidato tinha apoio e ligação com o governador do estado, Wilson Lima (PSC), e com o se­na­dor e ex-governador, Omar Ozis (PSD). De­vido às notícias falsas, a Justiça Elei­to­ral concedeu à Almeida mais de 120 direi­tos de resposta. A seguir, Coronel Mene­zes (PATRI) aparece com três publicações, uma participação na live de Jair Bolsona­ro, na qual o presidente apoiou a candi­da­tura do Coronel, além de uma foto da live e divulgação da mesma. O candidato Ca­pitão Alberto Neto (Republicanos) apa­rece com duas lives, uma com sua mulher e filha falando sobre suas propostas, e ou­tra com o seu candidato à vice, Orsine Ju­nior (PMN), e com o candidato a verea­dor, Coronel Alysson (PMN), sobre edu­ca­ção e escolas cívico-militares da cidade. Por fim, José Ricardo (PT) aparece com um vídeo sobre sua proposta de passe li­vre para estudantes no município, já tra­ba­lhada quando vereador e Deputado Fe­deral.

PORTO ALEGRE

Na capital porto-alegrense foram obser­va­das 624 publicações, que geraram 58.928 compartilhamentos, 53.999 co­men­­­tários e 875.934 reações. Os recursos u­ti­lizados nos posts foram fotos (61%), ví­deos (37%), links (2%) e somente texto (1%).

O ranking dos 10 posts mais comparti­lha­dos é totalmente composto por can­dida­tas mulheres. Manuela d’Ávila (PCdoB) em­placou seis das posições. Em suas pu­bli­cações, divulga a notícia, da Mídia Nin­ja, de que a Pfizer não enviará a primeira le­va de vacinas contra a Covid-19 porque o governo federal ignorou a oferta, afir­man­do que a cidade terá que tomar a ini­cia­tiva de fazer a gestão da vacina sem o go­verno federal, posta fotos de cam­panha e agradece aos seguidores, além de mencionar a live de Caetano Veloso pa­ra arrecadar recursos para sua candi­da­tura que havia sido suspensa por de­cisão do TRE/RS , que acabou por auto­ri­zá-la e, por fim, faz um vídeo, em tom in­for­mal e humorístico, em que fala sobre fake news enquanto se maquia, men­cio­nan­do que conseguiu derrubar mais de me­io milhão de notícias falsas sobre ela duran­te a campanha.

Fernanda Melchi­on­na (PSOL) aparece com três publica­ções. Em sexto lugar, aparece um vídeo de debate na Band em que é questionada pe­lo oponente Valter Nagelstein (PSD) so­bre a sua defesa da legalização das dro­­gas e a questão da segurança pública, ao que responde é preciso acabar com a guer­ra aos pobres, os quais compõem a maior parte do sistema carcerário, e fa­zen­do alusões ao caso Flordelis (PSD) pa­ra dizer que se defendesse bandido es­ta­ria em seu partido. Os outros dois posts são críticas ao presidente Jair Bolsonaro. No primeiro, traz o vídeo em que o presi­den­te diz que o Brasil tem que “deixar de ser país de maricas” e enfrentar a pande­mia, pois todos vão morrer um dia, para cri­ticar a fala homofóbica e o negacio­nis­mo do governo em relação à pandemia e, no outro, divulga um post dizendo que a mor­te do voluntário da vacina chinesa, Co­ro­navac, se deu por suicídio e não por com­plicações da vacina, criticando o presi­dente por ter comemorado a apa­ren­te falha nos testes . Por fim, Juliana Brizola (PDT) aparece com uma publi­ca­ção sobre o apagão no estado do Amapá, em que se critica a ANEEL (Agência Nacio­nal de Energia Elétrica), o Ministério de Mi­nas e Energia e o descaso de seus ges­to­res.

RECIFE

Na capital pernambucana foram obser­va­das 264 publicações, que geraram 49.071 com­­partilhamentos, 31.774 comentários e 260.559 reações. Os recursos utilizados nos posts foram fotos (66%), vídeos (33%) e links (1%).

Entre os 10 posts mais compartilhados, oi­to foram da Delegada Patrícia Domin­gos (PODE), sendo a maioria deles (6) re­la­cionados com Jair Bolsonaro. A candi­da­ta posta uma foto e um vídeo com o pre­si­dente apoiando sua candidatura, dois ví­deos com sua participação na live de Bol­sonaro, uma foto de campanha em que se apresenta como “a candidata de Bol­sonaro”, e um vídeo que diz todos di­zi­am não para Bolsonaro (a mídia, a es­quer­da e as pesquisas de opinião pú­bli­ca), mas que o povo o escolheu e o mes­mo aconteceria com ela. Suas outras pu­bli­­­cações são de divulgação de sua par­ti­ci­pação no debate da TV Jornal, em um de­­les citando sua fala de que conhece a ci­dade como Delegada que prendia polí­ti­co corrupto.

Entram no ranking também Ma­rília Arraes (PT) com uma foto de cam­panha, e Mendonça Filho (DEM) com um post sobre o debate na TV Jornal em que a­cu­­sa o oponente João Campos (PSB) de se atrapalhar com as contas, alegando que seria o estagiário e que deveria voltar pa­­ra a universidade, enquanto ele seria o pre­feito de verdade.

 

CONCLUSÕES

Na última semana antes de primeiro turno, percebemos que o Facebook foi uma ferramenta utilizada por muitos candidatos na busca por votos na reta final para o segundo turno. Para atrair a maior atenção possível, a polarização entre esquerda e direita tornou-se mais forte, com os candidatos marcando cada vez mais sua posição perante seus adversários eleitorais. Os políticos de esquerda aproveitaram o período pa­ra se diferenciar dos da direita com discussões importantes sobre Covid-19 e também desmentindo fake news,. Por sua vez, os candidatos de direita reforçaram suas posições conservadoras, sempre que possível utilizando da imagem do presidente Bolsonaro para angariar votos e conquistar simpatizantes. Com a aproximação das eleições, observamos também que o aumento dos ataques a adversários, o que também fez disparar o número de fake News divulgadas pelas campanhas. Com o primeiro turno chegando ao fim e o início do segundo turno em algumas capitais, verificaremos quais estra­té­gias se mostraram mais eficientes e como as campanhas se comportarão nessa nova etapa do processo eleitoral, uma disputa de um contra um, em busca da vitória.

Você pode baixar nosso relatório também, clicando aqui.

Apoie o Manchetômetro

Criado em 2014, o Manchetômetro (IESP-UERJ) é o único site de monitoramento contínuo da grande mídia brasileira. As pesquisas do Manchetômetro são realizadas por uma equipe com alto grau de treinamento acadêmico e profissional.

Para cumprirmos nossa missão, é fundamental que continuemos funcionando com autonomia e independência. Daí procurarmos fontes coletivas de financiamento.

Conheça mais o projeto e colabore: https://benfeitoria.com/manchetometro

Compartilhe nossas postagens e o link da campanha nas suas redes sociais.

Seu apoio conta muito!

Publicação anterior

Por Natasha Bachini, Eduardo Barbabela, Douglas Moura, Keila Rosa, Andressa Liegi Costa, Lucas Loureiro, Mariana Soares, Bruna Medina, Ana Beatriz Getirana, Matheus Ribeiro, Robson Nunes, Victor Nobre e João Feres Jr
07/12/2020 -   Entre os dias 23 a 29 de novembro de 2020, das 719 páginas analisadas, 620 publicaram algum conteúdo. No total da amostra da semanal, foram verificadas 17.137 mil publicações. ...
Próxima publicação

Por Natasha Bachini, Eduardo Barbabela, Douglas Moura, Keila Rosa, Andressa Liegi Costa, Lucas Loureiro, Mariana Soares, Bruna Medina, Ana Beatriz Getirana, Matheus Ribeiro, Robson Nunes, Victor Nobre e João Feres Jr
14/12/2020 - Entre os dias 30 de novembro a 7 de dezembro de 2020, das 719 páginas analisadas, 621 publicaram algum conteúdo. No total da amostra da semanal, foram verificadas 15.325 publicações. ...