19/09/2019 -

Por Natasha Bachini e João Feres Jr.

Entre os dias 9 e 15 de setembro de 2019, as 158 páginas que monitoramos publicaram 7.058 posts, que geraram 2.893.683 compartilhamentos. As páginas que mais postaram nesta semana foram: Exame (401 posts), Veja (495 posts) e Estadão (396 posts).

Tabela 1: 20 posts mais compartilhados da semana (9/9/2019 a 15/9/2019)[1]

semana 96

Os 20 posts da tabela acima concentram 15% dos compartilhamentos obtidos pelas 158 páginas ao longo do período. Os recursos mais frequentes nos posts foram vídeo (35%), foto (35%), link (15%) e texto (15%).

O post mais compartilhado da semana foi um meme informativo, publicado na página do Senado Federal, sobre a lei que dá direito à cirurgia reparadora nos dois seios a mulheres que tiveram câncer de mama, mesmo que a doença tenha atingido apenas um seio.

Mais uma vez, Jair Bolsonaro é o político que acumula o maior volume de compartilhamentos, mesmo nesta semana, em que realizou uma cirurgia para a retirada de uma hérnia, o que não o afastou das mídias sociais. O presidente postou alguns vídeos e realizou uma live do quarto do hospital. Além de manifestar sua gratidão aos médicos que vêm lhe acompanhando desde o episódio da facada e fazer um vídeo do seu repouso assistindo ao programa “Chaves”, falou sobre as últimas ações do governo. Bolsonaro destacou em suas publicações que “a recriação da CPMF ou aumento da carga tributária estão fora da reforma tributária por determinação do Presidente da República”; comemorou a abertura ao Brasil, por parte do Egito, do mercado de lácteos; e anunciou as medidas provisórias da “liberdade estudantil”, que libera a produção gratuita da carteira estudantil sem passar pela UNE, e da pensão vitalícia para crianças com microcefalia. Bolsonaro compartilhou também o vídeo de um caminhoneiro elogiando seu governo, afirmando que as condições das estradas atualmente são bem melhores, sobretudo da BR 163.

Bolsonaro e seu filho, Eduardo (PSL-SP), seguiram criticando a grande imprensa no Facebook. A fúria da família  contra a “extrema imprensa” foi motivada nesta semana pela repercussão negativa do tuíte de Carlos Bolsonaro (PSL-RJ), no qual afirmou que não era possível mudar o país pela via democrática, e pela matéria da revista Época, para a qual um jornalista se passou por paciente e fora atendido pela esposa de Eduardo, que é psicóloga. Nas sessões, o jornalista incitou conversas sobre a atuação política da família.

Outro político que conseguiu emplacar posts no ranking foi o senador Álvaro Dias, que abordou o tema da corrupção em suas publicações. Enaltecendo o movimento Muda Senado, do qual faz parte, convocou a população para um ato, no próximo dia 25, pela CPI da Toga e pelo fim do foro privilegiado. Dias também compartilhou matéria do Metro 1 em que Barroso levanta suspeita gravíssima sobre corrupção no Supremo Tribunal Federal. Segundo Barroso, “tem gabinete (no STF) distribuindo senha para corrupto”.

Por fim, tivemos dois posts de páginas de esquerda participando da lista desta semana. A página Sudaka (antiga Deboas na Revolução) garantiu muitos compartilhamentos com a pergunta: “ O que é sexta-feira 13 para quem vive em um país 17?”. Já a Mídia Ninja compartilhou a posição de Felipe Neto sobre a já mencionada declaração de Carlos Bolsonaro de que não seria possível mudar o país por vias democráticas: “Se você está calado, é conivente!”.

Em resumo, os principais alvos da direita na rede ao longo desta semana foram a grande imprensa e o STF. As referências ao Partido dos Trabalhadores, seu costumeiro alvo, foram indiretas, por meio de fotos de militantes com bandeiras “Lula Livre” nos posts sobre a MP da “liberdade estudantil”, da aparição de Lula e Dilma em vídeos sobre a cobertura tendenciosa do noticiário, e da defesa de Carlos Bolsonaro por Eduardo no Congresso, que rebateu as críticas das congressistas de esquerda ao irmão pelo caráter antidemocrático de sua fala, afirmando que elas eram “esquerdopatas, autoritárias e defendiam o sustento de Cuba”. Por outro lado, a esquerda conseguiu marcar duas posições importantes entre os posts, o que corrobora o crescente descontentamento com o governo conforme mostram as pesquisas de opinião. Seguimos observando.

[1] Excluímos da lista desta semana um post da Mídia Ninja, dois posts da Rede Globo, um post do G1 e outro post da Catraca Livre, por não tratarem de Política.