De 13 a 19 de julho de 2020
De 13 a 19 de julho de 2020

Por Natasha Bachini, Eduardo Barbabela, Douglas Moura, Keila Rosa, Andressa Liegi Costa, Monique Sousa, Bruna Medina, Matheus Ribeiro, Ana Beatriz Getirana, Robson Nunes, Victor Nobre e João Feres Jr.
02/08/2020 -

 

Entre os dias 13 e 19 de julho, as 719 páginas monitoradas por nós produziram 17.315 posts que geraram 9.036.763 compartilhamentos. Os recursos utilizados nos posts foram foto (41%), link (35%), vídeo (23%) e texto (1%).

Novamente os assuntos que mais repercutiram entre as páginas monitoradas foram temas decorrentes da pandemia do Covid-19, como o auxílio emergencial, a hidroxicloroquina e o conflito ideológico-partidário.

Desde a primeira semana de junho/2020, quando retomamos o monitoramento, os posts do deputado federal André Janones (Avante-MG) aparecem no topo do ranking das publicações mais compartilhadas. Em suas lives, o deputado vem se colocando no papel de “verdadeiro” representante e fiscal do povo, fazendo uma defesa aguerrida do auxílio emergencial. Nesta semana, Janones transmitiu votação na Câmara dos Deputados sobre a extensão do benefício até o final deste ano e revoltou-se com a negação do pedido destacando o  voto do Partido Novo que, em suas palavras, “tem um ódio de povo, de pobre, que eu nunca vi igual”.

O deputado também afirmou que pretende levar à pauta na Câmara um projeto de lei para elevar a corrupção praticada no período de pandemia ao status de crime hediondo.

O presidente Jair Bolsonaro, por sua vez, dedicou-se a propagandear as obras que vêm sendo realizadas pelo governo federal, como os trechos da Transamazônica, a duplicação da BR-101 entre Aracaju-SE e Maceió-AL e a entrega do sistema de águas nas cidades de Água Branca e Delmiro Gouveia, ambas em Alagoas. Em um dos vídeos postados por Bolsonaro sobre as obras, o ministro Tarcísio Freitas afirma que o bom desempenho do governo no campo da infraestrutura é resultante de estudos econômicos, articulação política e parcerias com o capital privado.

Além disso, junto às deputadas Bia Kicis (PSL-DF) e Carla Zambelli (PSL-SP), o presidente seguiu defendendo a administração da hidroxicloroquina no tratamento de pacientes com Covid-19. Esses posts utilizam matérias da Fox News e da Revista Veja como fonte. Um alega inclusive que Cuba venceu a Covid-19 graças ao uso do medicamento. A substância foi instrumentalizada para intensificar o conflito ideológico. Os políticos mencionados afirmam que a OMS não recomenda o medicamento por ele ser usado no Brasil e nos Estados Unidos, países cujos presidentes são de direita. O mesmo se daria com os governadores que proibiram suas distribuição, como o Rui Costa (PT-BA), mencionado em um dos posts.

Ainda no campo ideológico, o ministro Gilmar Mendes foi intensamente atacado na rede durante o período após ter chamado o Exército e o presidente de genocidas devido a pasta Saúde encontrar-se há dois meses sem ministro em meio à pandemia. Os deputados Filipe Barros (PSL-PR) e Bia Kicis (PSL-DF) exigiram responsabilização da corte. Kicis ainda declara que, se nada for feito em relação a Gilmar, “é melhor fechar logo e entregar as chaves à China” , país que, segundo a deputada, “criou o vírus” e “tem interesse em dominar o Brasil, pois está com a segurança alimentar em risco”.

Zambelli defendeu também, por meio da fala de Sikera Junior, a morte de presidiários: “vagabundo tem que se ir embora mesmo”. Também apoiou a prisão do ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB-SP), denunciado pelo MP-SP pelos crimes de falsidade ideológica eleitoral, corrupção passiva e lavagem de dinheiro, e comemorou o fim da lei Rounet, que segundo ela, vinha sendo instrumentalizada pela esquerda para a promoção de uma hegemonia cultural.

Os bolsonaristas seguem usando o Facebook a todo vapor para propagar seus enquadramentos e difundir desinformações, promovendo um conflito ideológico permanente. Nesta disputa, observa-se alguma reação da esquerda, como as páginas de Jandira Fregali (PC do B-RJ) e Humberto Costa (PT-RE), que nessa semana alcançaram grande volume de compartilhamentos, mas esta ainda é insuficiente perante a supremacia da direita na rede.

Você também pode baixar nosso relatório clicando aqui.

Apoie o Manchetômetro

Criado em 2014, o Manchetômetro (IESP-UERJ) é o único site de monitoramento contínuo da grande mídia brasileira. As pesquisas do Manchetômetro são realizadas por uma equipe com alto grau de treinamento acadêmico e profissional.

Para cumprirmos nossa missão, é fundamental que continuemos funcionando com autonomia e independência. Daí procurarmos fontes coletivas de financiamento.

Conheça mais o projeto e colabore: https://benfeitoria.com/manchetometro

Compartilhe nossas postagens e o link da campanha nas suas redes sociais.

Seu apoio conta muito!

Publicação anterior

Por André Madruga, Bruna Medina, Keila Rosa e Eduardo Barbabela
28/07/2020 - No episódio, os pesquisadores Keila Rosa, Bruna Medina e Eduardo Barbabela conversam sobre os relatórios do M Facebook que apontam os campeões de engajamento na rede social em junho de ...
Próxima publicação

Por Natasha Bachini, Eduardo Barbabela, Douglas Moura, Keila Rosa, Andressa Liegi Costa, Lucas Loureiro, Bruna Medina, Ana Beatriz Getirana, Matheus Ribeiro, Robson Nunes, Victor Nobre e João Feres Jr.
05/08/2020 - Entre os dias 20 e 26 de julho, as 719 páginas monitoradas por nós produziram 18.189  posts que geraram 7.459.640   compartilhamentos. Os recursos utilizados nos posts foram foto (44%), link ...