De 20 a 26 de Julho de 2020
De 20 a 26 de Julho de 2020

Por Natasha Bachini, Eduardo Barbabela, Douglas Moura, Keila Rosa, Andressa Liegi Costa, Lucas Loureiro, Bruna Medina, Ana Beatriz Getirana, Matheus Ribeiro, Robson Nunes, Victor Nobre e João Feres Jr.
05/08/2020 -

Entre os dias 20 e 26 de julho, as 719 páginas monitoradas por nós produziram 18.189  posts que geraram 7.459.640   compartilhamentos. Os recursos utilizados nos posts foram foto (44%), link (34%), vídeo (21%) e texto (1%). A partir desta semana voltamos a contabilizar outras interações, como os comentários e as reações (Gosto, Adoro, Coragem, Riso, Surpresa, Tristeza e Ira), que totalizaram respectivamente 4.143.865 e  33.713. 412 no período.

Os assuntos mais compartilhados da semana foram relacionados à pandemia do Covid-19 e ao inquérito das Fake News (INQ 4781),  instaurado pelo Superior Tribunal Federal (STF) para investigar notícias fraudulentas, ameaças e infrações que circulam na rede. Além disso, destacaram-se posts sobre obras do governo federal e afrontas aos seus opositores políticos ou ideológicos.

O post mais compartilhado contém discurso do deputado André Janones (Avante-MG) em audiência pública na Câmara do Deputados sobre o acidente ocorrido em Brumadinho-MG, quando o rompimento de uma barragem da mineradora Vale do Rio Doce matou centenas de pessoas. A partir de um apelo populista, o deputado cobra das autoridades a punição da Vale, responsável pela tragédia.

Questões relacionadas à pandemia da Covid-19 continuam a dinamizar o debate na rede. Janones, auto denominado “defensor no povo”, usou sua página para repassar informações sobre os benefícios oferecidos à população como modo de amenizar o impacto da pandemia, como o auxílio emergencial e a suspensão do pagamento da parcela do financiamento do programa Minha Casa Minha Vida.

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido), fez novamente propaganda da hidroxicloroquina, segurando a caixa do remédio e afirmando já estar curado do vírus. Essa foto do presidente foi compartilhada também pelas deputadas Carla Zambelli (PSL-SP) e Bia Kicis (PSL-DF). As deputadas, em outros posts, ironizaram ainda o isolamento social como forma de conter o contágio do vírus, atacando prefeitos e, indiretamente, o ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta.

A pandemia rendeu também ao governador de São Paulo, João Dória, uma posição no ranking. Em post, Dória anunciou o início da fase 3 no estado e o avanço da vacina chinesa que vem sendo desenvolvida em parceria com o Instituto Butantã e o Laboratório Sinovac Biotech. Na ocasião, Doria ressaltou, com otimismo, a importância da ciência no combate à Covid-19.

Outro assunto que repercutiu na rede foi o inquérito das Fake News do STF. Carla Zambelli, uma das investigadas, alegou que a instituição cerceia sua liberdade de expressão e da direita em geral com objetivo de prejudicá-los nas eleições municipais. Também tomando o STF como alvo, Bia Kicis criticou a suspensão de operações das policiais nas favelas do Rio de Janeiro durante a pandemia. Na mesma linha, o deputado Carlos Jordy (PSL-SP), publicou um vídeo, sem identificar a autoria e as pessoas que nele aparecem, com homens armados supostamente passeando em uma favela do Rio de Janeiro, acompanhado dos seguintes dizeres: “Trabalhadores da comunidade agradecendo ao apoio do STF por vetar o pedido da União para retomar as operações policiais na favela”.

Foram ainda alvos essa semana dos posts dos bolsonaristas: Agnelo Queiroz, ex-governador do Distrito Federal pelo PT, preso com porte ilegal de arma. João Doria por responder à repórter de O Globo sobre a vacina de Oxford de maneira irônica e, principalmente, o youtuber Felipe Neto, por meio de um vídeo de mais de 40 minutos que o acusa, entre outros crimes, de pedofilia.

Em suma, a bem estruturada rede da extrema direita segue pautando o debate no Facebook, reduzindo-o a ofensas e a desinformação. Contudo, essa estratégia parece, aos poucos, estar perdendo efeito, visto que posts sobre temas como direitos sociais, a aprovação do Fundeb, e a defesa de estratégias com respaldo científico como meios de superar a crise da Covid-19 conquistam gradualmente visibilidade.

Você pode baixar o relatório completo, clicando aqui.

 

 

 

Apoie o Manchetômetro

Criado em 2014, o Manchetômetro (IESP-UERJ) é o único site de monitoramento contínuo da grande mídia brasileira. As pesquisas do Manchetômetro são realizadas por uma equipe com alto grau de treinamento acadêmico e profissional.

Para cumprirmos nossa missão, é fundamental que continuemos funcionando com autonomia e independência. Daí procurarmos fontes coletivas de financiamento.

Conheça mais o projeto e colabore: https://benfeitoria.com/manchetometro

Compartilhe nossas postagens e o link da campanha nas suas redes sociais.

Seu apoio conta muito!

Publicação anterior

Por Natasha Bachini, Eduardo Barbabela, Douglas Moura, Keila Rosa, Andressa Liegi Costa, Monique Sousa, Bruna Medina, Matheus Ribeiro, Ana Beatriz Getirana, Robson Nunes, Victor Nobre e João Feres Jr.
02/08/2020 -   Entre os dias 13 e 19 de julho, as 719 páginas monitoradas por nós produziram 17.315 posts que geraram 9.036.763 compartilhamentos. Os recursos utilizados nos posts foram foto (41%), ...
Próxima publicação

Por Clara Câmara, João Feres Junior e Eduardo Barbabela
10/08/2020 - Gráfico 1. Cobertura de Política Gráfico 2. Cobertura de Política por minutos Bolsonaro com COVID e o combate às Fake News   O mês de julho começou com o anúncio ...