De 03 de agosto a 09 de agosto de 2020
De 03 de agosto a 09 de agosto de 2020

Por Natasha Bachini, Eduardo Barbabela, Douglas Moura, Keila Rosa, Andressa Liegi Costa, Lucas Loureiro, Bruna Medina, Ana Beatriz Getirana, Matheus Ribeiro, Robson Nunes, Victor Nobre e João Feres Jr
24/08/2020 -

Entre os dias 03 e 09 de agosto de 2020, das 719 páginas monitoradas, 654 publicaram posts que geraram 7.564.855 compartilhamentos. Os recursos utilizados nos posts foram 7.414 (44%) fotos, 5.572(33%) links, 3.829 (23%) vídeo e 186 (1%) status.

O assunto mais debatido nas redes continua sendo a pandemia da Covid-19, com destaque para a disputa ideológica promovida pela extrema-direita quanto ao tratamento de pacientes infectados com a doença. O Presidente Jair Bolsonaro fez um post sobre a pandemia, com vídeo no qual a deputada estadual Clarissa Tércio (PSC-PE) diz que um grupo de médicos em Pernambuco vem sendo perseguidos por usar a hidroxicloroquina em pacientes diagnosticados com a Covid-19.

As deputadas Bia Kicis (PSL-DF) e Carla Zambelli (PSL-SP) também se pronunciaram sobre a questão. Zambelli criticou parte da mídia e alguns perfis de esquerda que olhariam apenas para o número de mortes e desconsiderariam a recuperação de mais 2 milhões de brasileiros curados da Covid-19.

Por sua vez, a deputada federal Bia Kicis (PSL- DF) lamentou em post a má alocação de recursos da Fiocruz, que utilizaria doações para a pesquisa do coronavírus no financiamento de “material para festividades e homenagens”.

Os ataques ao STF também foram abundantes em postagens de políticos da direita, inclusive algumas das deputadas Zambelli e Kicis. Carla Zambelli (PSL-SP) enfatizou seu descontentamento com a decisão do STF de invalidar a delação de Palocci contra Lula na Lava Jato. A deputada paulista aproveitou a postagem para elogiar o trabalho de Moro como juiz no caso e afirmar que a decisão de invalidação pode colocar em risco a justiça que foi realizada no Petrolão, considerado por ela o maior escândalo de corrupção do mundo. Zambelli valeu-se da temática da corrupção também para atacar João Dória pela prisão do secretário de transportes Alexandre Baldy.

Bia Kicis, por sua vez, postou uma crítica ao STF, com imagem da ex-secretária da cultura, Regina Duarte, na qual diz: “O Brasil inventou a prisão esportiva: a polícia prende, a imprensa tira foto e o STF solta”.

A esquerda conseguiu algum destaque nas redes nessa semana com a deputada federal do PSOL-SP, Sâmia Bomfim. No vídeo  postado em sua página, motoboys fazem um “buzinaço” contra o ato racista sofrido pelo entregador de aplicativo Matheus Pires. Na legenda do vídeo, Sâmia apoia os motoboys, colocando na legenda “Racistas não passarão”.

O post com maior engajamento sobre o caso, no entanto, é do presidente Jair Bolsonaro que se solidariza com o motoboy Matheus Pires, desejando sucesso na vida dele e de sua família, repudiando totalmente o ocorrido e oferecendo o argumento que “ninguém é melhor que ninguém em virtude de cor, crença, classe social ou opção sexual”.

O destaque da semana também ficou para a página pessoal de Jair Bolsonaro que alcançou o maior número de engajamentos entre todas as páginas pesquisadas e o maior número de compartilhamentos, 70.997. Na postagem, o ministro da Infraestrutura Tarcísio Freitas concede entrevista para à CNN na qual afirma que o Brasil é um país rico e grande e não merece ter as mazelas que possui, dizendo que se sentiria extremamente frustrado caso sua geração não estivesse deixando um legado ao seu país.

Durante essa semana novos nomes conseguiram posts com muito destaque, como o Senador Kajuru (CIDADANIA-GO) e a deputada federal Sâmia Bomfim (PSOL-SP). Ao mesmo tempo, outros antes em posição de destaque não apareceram no ranking, como o deputado federal André Janones (AVANTE-MG) que desde a volta dos nossos relatórios aparecia sempre com um post entre os três mais compartilhados da semana.

Mais uma vez a extrema direita liderou os debates no Facebook. Nessa semana, além da recorrente defesa da perspectiva governista quanto à pandemia, relacionada ao número de curados e defesa da cloroquina, reforçaram a defesa do governo e de suas políticas públicas.

A extrema direita também retomou um tema que lhe foi muito caro em 2018, particularmente no período da campanha eleitoral: casos de corrupção envolvendo seus opositores. E, mesmo quando a esquerda conseguiu visibilidade em uma tema que lhe é caro – a luta antirracista – a direita soube aproveitar e conseguir maior engajamento e destaque com seu posicionamento sobre o fato. Ao que parece, ainda há um longo caminho para a esquerda percorrer para alcançar o engajamento da direita nas redes sociais, se isso um dia ocorrer.

Você pode acessar o pdf de nosso relatório, clicando aqui.

Apoie o Manchetômetro

Criado em 2014, o Manchetômetro (IESP-UERJ) é o único site de monitoramento contínuo da grande mídia brasileira. As pesquisas do Manchetômetro são realizadas por uma equipe com alto grau de treinamento acadêmico e profissional.

Para cumprirmos nossa missão, é fundamental que continuemos funcionando com autonomia e independência. Daí procurarmos fontes coletivas de financiamento.

Conheça mais o projeto e colabore: https://benfeitoria.com/manchetometro

Compartilhe nossas postagens e o link da campanha nas suas redes sociais.

Seu apoio conta muito!

Publicação anterior

21/08/2020 - Por Lucas Brito, Beatriz Bandeira de Mello e João Feres Jr. O acordo nuclear com o Irã, ou Plano de Ação Conjunto Global (JCPoA, na sigla em inglês) foi formalmente ...
Próxima publicação

Por Luiza Medeiros, Leonildes Nazar e André Madruga
25/08/2020 - No episódio, a pesquisadora do Manchetômetro Luiza Medeiros conversa com Leonildes Nazar, doutoranda em Ciência Política pelo IESP-UERJ e pesquisadora do Observatório Interdisciplinar das Mudanças Climáticas. Apresentação e edição: André ...